Uma das grandes armas do marketing digital é o e-mail marketing e desde sempre um dos maiores medos das empresas é cair no spam.

 

Mas o que é o spam?

Spam, “Sending and Posting Advertisement in Mass”, ou Enviar e Postar Publicidade em Massa em tradução livre. Basicamente é um tipo de publicidade enviada em massa que acaba gerando “lixo eletrônico”.

Certo, mas se é eletrônico ou digital, como pode ser lixo? Por isto temos que entender o conceito de lixo eletrônico.

A internet, nada mais é, do que uma grande rede de computadores interligados, sendo assim, um site que você acessa é uma pasta em algum computador dentro de um host ou data center. E isto quer dizer que seu e-mail também está dentro de um computador e dentro de um HD.

Entendendo este conceito, é fácil perceber que HDs não são ilimitados e logo eles tem seu espaço ocupado. Então seu e-mail tem um espaço a ser ocupado e o que não é do seu uso, você não pediu para receber e apenas ocupa espaço basicamente é lixo. Este é o conceito de lixo eletrônico ou spam.

Por isto, as empresas começaram a se preocupar com o lixo eletrônico e criaram inteligências que rejeitam seu e-mail em vez de colocar em uma caixa que vai acumular ele como lixo.

Antes da era mobile, existiam limitações claras, por exemplo, e-mails acima de 80kb iam direto para o spam, porque acumulavam e ocupavam muito espaço. Os HDs não eram grandes como os de hoje, fora que as operações lógicas eram muito mais lentas e o consumo de processamento era muito alto para recuperar os dados, sem contar, claro, todo o consumo de banda.

Além do não recebimento dos e-mails, a insistência deles te coloca em uma lista que é lida por todas as grandes empresas de e-mail, como Google, Microsoft, Yahoo, incluindo empresas nacionais como UOL e Terra.

Então a 20 anos atrás, os e-mails feitos apenas com imagens eram muito ruins, pois caiam nos spams. Mas o mundo evoluiu, hoje existe muito mais espaço e a regra caiu por terra, hoje é possível performar muito bem com e-mails apenas de imagem.

É o melhor cenário? A resposta é: Depende!

Por exemplo, usar apenas imagens é complicado para e-mails transacionais por exemplo, onde os dados serão trocados dependendo das variáveis. Outro exemplo é a recuperação de carrinho, que muitas vezes precisa mostrar os produtos visitados ou adicionados ao carrinho.

Também é um cenário ruim para e-mails longos, pois ainda não podemos ter um peso tão grande de imagens.

Mas funciona muito bem para performance em massa, principalmente para produtos que tem que chamar atenção visualmente com decisões absurdamente impulsivas.

É preciso estudar com carinho o uso dos seus e-mails, trabalhando assim com uma estratégia híbrida e assim diminuir ainda mais sua chance de cair no spam.

Lembrando que o disparo de e-mail se utiliza de base da e-mails, sendo assim, você se utiliza de dados sensíveis e está dentro da LGPD, a lei geral de proteção de dados. (Você pode clicar aqui para ler mais)

Gostou do conteúdo? Clique aqui e veja 7 dicas matadoras para e-mails marketing.

Boas vendas.

You may also like

Leave a Comment